A metodologia que inspirou o HACKMED

Em 2011, membros do MIT, de Harvard e da comunidade médica norte-americana perceberam que o modelo tradicional de hackathon* poderia ser aplicado na área da saúde. É fundado então o MIT Hacking Medicine e a metodologia do Health Hacking (Hackathons de medicina) é estabelecida.

*Hackathon: Maratona de programação na qual hackers e especialistas em tecnologia se reúnem por horas, dias ou até semanas para explorar dados abertos, desvendar códigos e sistemas lógicos, discutir novas ideias e desenvolver projetos de software ou  hardware.

Ensinar empreendedorismo, design thinking e estratégias digitais;

Empoderar pessoas para serem agentes transformadores de seu próprio ecossistema;

Impactar e resolver problemas de saúde em todo o mundo;

2. Interdisciplinaridade

Agregar pessoas de diferentes disciplinas, o que seria pouco provável de acontecer fora desse ambiente.

Em 2012, em um dos hackathons organizados pelo MIT, dois médicos e dois engenheiros de diferentes nacionalidades se juntaram para desenvolver um aparelho capaz de ressuscitar recém-nascidos asfixiados.

 

Assim surgiu a ideia do “Augmented
Infant Resuscitator” (AIR), dispositivo desenvolvido recentemente em parceria entre Philips e CAMTech.

3. Resolver problemas próprios

Empoderar pessoas para resolver desafios que vivenciam na área da saúde.

Em 2014, um grupo de mães, em um dos hackathons organizados pelo MIT, desenvolveu um modelo de bombas de extração de leite que reduzia em 50% o som emitido durante a coleta. Elas fundaram a “Mighty Mom” e tiveram a oportunidade de apresentar o projeto a investidores no Vale do Silício.

“Por que em vez de ter de lembrar a ordem dos inúmeros medicamentos a tomar, nós não podemos receber os medicamentos por correio já embalados e etiquetados,
prontos para serem tomados?”

 

Assim surgiu, em um dos hackathons do MIT, a Pillpack, empresa considerada uma das 25 melhores invenções de 2014 pela Time Magazine, recentemente vendida à Amazon por U$1 bi.

Oposto de Déjà Vu: quando encontramos algo familiar, mas o vemos sob nova perspectiva, o que nos permite ter novos insights a respeito de velhos problemas.

1. Vu Jádè

Os Health hackings do MIT, sempre gratuitos e de curta duração (em média um final de semana), são realizados com base em três princípios:

Impacto Total

Números a respeito da abrangência mundial do MIT Hacking Medicine:

Venha criar soluções para transformar a saúde do nosso país.

É hora de tirar aquela ideia do papel.