Você conhece o Design Thinking?

Saiba como aplicar a metodologia do Design Thinking para resolver um problema real a partir da criação de produtos e serviços que se tornam essenciais para as pessoas.


O que é o Design Thinking?


O Design Thinking é uma abordagem utilizada na resolução de problemas complexos, um jeito de pensar nos desafios, problemas e soluções.

Um pouco de história


As evoluções tecnológicas impactam na maneira que a gente se organiza, trabalha e se relaciona. Essas transformações se dão de maneira cada vez mais rápida. Ao caminhar um pouco pelo viés histórico, podemos traçar uma linha do tempo no que tange às fontes de dominância históricas.


Fontes de Dominância em cada período:

  1. Era da Manufatura (1900-1960): produção em massa alavancam potências industriais. Ex.: Ford, GE, Boeing e P&G.

  2. Era da Distribuição (1960-1990): conexões globais fazem da distribuição a chave do sucesso. Ex.: Wallmart, Toyota, UPS.

  3. Era da informação (1990-2010): PCs conectados beneficiam os que controlam os dados. Ex.: Microsoft, Google e Dell.

  4. Era do Consumidor (2010-hoje): Consumidores empoderados demandam foco nos usuários. Ex: Amazon, Spofity e Airbnb.

A mudança no papel do consumidor


Os consumidores atuais têm acesso rápido aos mercados globais e hoje já não há uma separação clara entre experiências físicas e digitais. Os consumidores passam de uma para a outra de forma espontânea, ficando mais exigentes com os serviços e ampliando seu repertório de experiências. Por exemplo, como no caso da Nike que oferece um produto físico, o tênis de corrida, intrinsecamente relacionado ao serviço e às experiências que proporciona por meio da utilização de um aplicativo que monitora o tempo, distância e outros parâmetros durante o exercício.


O papel do Design Thinking


O Design Thinking é responsável por estimular a cultura de design focado nas pessoas, traz resultados reais e mensuráveis, além de proporcionar uma vantagem competitiva. Como é o caso do Starbucks: a empresa transformou o café de commodity a uma experiência, conferindo marca pessoal, ambiente personalizado e pensando na experiência que proporciona ao cliente. Assim, os serviços sofisticados que oferecem ganham cada vez mais espaço.


Tudo o que é construído no nosso mundo é feito por pessoas que vivem problemas reais, tal qual eu e você.


Não fixe a ideia absoluta de que você precisa ser especialista no micro para atingir algo macro. Você pode sim ser um agente de transformação de saúde, só é preciso ter um olhar analítico da realidade que te cerca.


Desapegue-se da ideia de que para formar uma startup de sucesso, você precisa ser um gênio. Não. O mundo está cheio de ideias, a diferença está na execução. Procure as melhores ferramentas e os melhores lugares para definitivamente tirar a sua ideia do papel.





E como inovar no meio disso tudo?

O Design Thinking é uma abordagem para a solução de desafios centrada nas pessoas, que considera o que é tecnologicamente factível e comercialmente viável para gerar valor para as pessoas e oportunidades para a empresa.


O ponto em comum, a intersecção, entre esses três pontos é o que procuramos no Design Thinking, ou seja, se é viável tecnologicamente, rentável como negócio e desejável para as pessoas que impactam.


Destrinchando os pilares do Design Thinking


O Design Thinking é uma abordagem utilizada na resolução de problemas complexos, um jeito de pensar nos desafios, problemas e soluções.

Principais pilares do Design Thinking:

  1. Empatia: se colocar o usuário no centro da estratégia. Tentar entender profundamente como a pessoa se sente, o que ela pensa, quais são suas necessidades.

  2. Colaboração: trabalhar com a multidisciplinaridade. Incluir diferentes pessoas e perfis, diferentes olhares aos processos para ajudar a co-criar e pensar em soluções que vão desde o entendimento do desafio até a construção das soluções possíveis.

  3. Experimentação: testar antes de implementar. Aprender rápido e corrigir cedo. Visualizar a solução antes de investir. Construir para pensar (prototipagem e aprendizado pela prática).

Procuramos soluções desejáveis para as pessoas, fáceis de usar e que resolvam problemas e dificuldades reais.

Ao olhar para pessoas, negócios e tecnologias, procuramos criar soluções relevantes para as pessoas, que sejam tecnicamente viáveis e que traga resultado para os negócios.


O modelo do Diamante Duplo

Vamos simplificar ao máximo a explicação acerca da montagem do modelo do Diamante Duplo muito utilizado na metodologia do Design Thinking: No primeiro diamante, pensa-se no problema. No segundo diamante, pensa-se na solução.



O primeiro diamante:

No primeiro diamante, há duas etapas: a descoberta e a definição.

  1. Descoberta: partimos de um problema ou de um desafio que queremos resolver. Em seguido, vamos divergir, de modo a ampliar nosso conhecimento e repertório sobre o assunto.

  2. Definição: momento de convergir e gerar insights, quais foram os aprendizados gerados a partir dos dados coletados.

Com mais clareza e maior percepção acerca de quais problemas vamos atacar, da definição e das dores da nossa persona, pode-se seguir para o segundo diamante.

O segundo diamante:

No segundo diamante, há duas etapas: desenvolvimento e entrega.

  1. Desenvolvimento: divergir para considerar todas as opções.

  2. Entrega: convergir para selecionar e concretizar a ideia mais realizável e que gera maior valor ao usuário. Essa ideia será prototipada e testada antes de entregar, de modo a garantir que estamos construindo soluções para o problema certo e que seja a melhor solução possível. Conclusão


Conclusão


Juntar todos essas etapas teóricas e convertê-las em um modelo prático com valor verdadeiro ao cliente é desafiador. Mas utilizar uma metodologia validada como o Design Thinking diminui significativamente as suas chances de errar. Assim, você pode atingir metas de forma mais assertiva e significativa.