O caminho do ZERO à sua primeira startup

Empreender não é simplesmente querer abrir uma empresa, empreender é querer resolver problemas e a mentalidade empreendedora é o que faz a diferença.


Primeiro passo: você pode ser um agente transformador da realidade


"Tudo o que vemos ao nosso entorno foi construído por pessoas, como nós" - Steve Jobs, fundador da Apple

Tudo o que é construído no nosso mundo é feito por pessoas que vivem problemas reais, tal qual eu e você.


Não fixe a ideia absoluta de que você precisa ser especialista no micro para atingir algo macro. Você pode sim ser um agente de transformação de saúde, só é preciso ter um olhar analítico da realidade que te cerca.


Desapegue-se da ideia de que para formar uma startup de sucesso, você precisa ser um gênio. Não. O mundo está cheio de ideias, a diferença está na execução. Procure as melhores ferramentas e os melhores lugares para definitivamente tirar a sua ideia do papel.


Segundo passo: foque no problema; não na solução


"Apaixone-se pelo problema e não pela solução." - Uri Levine, fundador do Waze

Assim, vamos ao passo seguinte para desenvolver startups, seja na saúde, seja em qualquer outro setor: antes de pensar nas soluções, precisamos pensar nos problemas que queremos resolver.

A grande maioria das startups morrem porque não atendem as necessidades reais das pessoas, ou seja, estão fixadas em determinada ideia e não compreendem a fundo o problema que estão tentando resolver.

Ao pensar em múltiplas soluções, pode haver um distanciamento de uma resolubilidade efetiva para a realidade. Entretanto, quando você entende todos os aspectos do problema, a sua solução é muito mais certeira.


No entanto, não basta só entender o problema, mas também fazer o seu mapeamento, entender todos os aspectos sociais, culturais, individuais que os englobam.


Terceiro passo: comece sempre pelo MVP


Uma ideia tirada do plano imagético e colocada no concreto pode se perder facilmente.

Você simplesmente pensar em um problema, encontrar uma solução e já colocar em prática, pode te levar a dar muitas voltas, no âmbito prático. Além disso, pode ser extremamente custoso em termos financeiros e nem sempre trazer o retorno esperado.


Para saber a viabilidade do seu projeto, você precisa de um MVP (produto mínimo viável), que é uma maneira para ver se aquilo que você pensou faz sentido para a realidade das pessoas envolvidas na vida de quem você quer transformar.


No entanto, fazer um MVP não é tão simples quanto parece. É necessária uma metodologia precisa, com o objetivo de definir a viabilidade de determinado projeto.

Para saber mais acerca da construção do MVP acesso o terceiro dia da Health Innovation Week 2021.



Quarto passo: comece agora


"Ninguém começa no LVL 100, o que importa é o Delta" - Masanori Aikawa, Professor Harvard Medical School


Você pode sentir que não está 100% pronto para empreender e, muito provavelmente, não está. Saiba colecionar aprendizado e conhecimento ao longo do processo. Saia da inércia.


Não importa onde você está, mas sim onde você quer chegar.


Mas, para chegar em qualquer lugar, você precisa dar a largada. A sua evolução está no processo mas você precisa começar. Quanto antes começar melhor.


Lembre-se de que se a cadeira que você está sentado está incomodando, então levante-se e busque o que pode melhorar o seu conforto.


A jornada será longa, com múltiplos obstáculos e barreiras, mas a recompensa fará todo o esforço valer a pena para você.


Quinto passo: não tenha medo de errar


Você tem que agir e estar disposto a falhar. Se você tem medo de fracassar, não irá muito longe" - Steve Jobs, fundador da Apple

Ao iniciar um novo projeto, estamos entrando em um território desconhecido e desafiador. Assim, é comum o receio e a aversão em cometer erros. No setor da saúde, esse medo de errar e falhar é ainda mais pronunciado.


Você vai errar ao longo da sua trajetória. Entretanto, você pode aprender a evitar ao máximo cometer esses erros, aprendendo com as suas próprias falhas e também com as falhas dos outros.


Pergunte, discuta, questione, seja proativo. Com isso, novas oportunidades podem até surgir, mas quando você vai atrás e busca por elas, a chance de encontrar mais "sorte" pelo caminho, é muito maior.


Por isso, aumente a sua probabilidade e coloque a estatística a seu favor. Vá atrás, pergunte, participe. Não tenha medo de fracassar porque assim você nunca fará nada de diferente.





Sexto passo: utilize metodologias confiáveis


Apesar da jornada empreendedora ser extremamente prática, é imprescindível recorrer a metodologias confiáveis com o objetivo de diminuir as chances da sua startup não vingar e/ou falhar em etapas precoces.


No Hackmed, utilizamos a metodologia certificada e validada do MIT Hacking Medicine, pautada em 3 pilares principais: